Palavra de vida › 01/09/2017

Palavra de Vida – setembro de 2017

“Sede Santos porque eu sou Santo” (Lv 11,44)

Santidade é o modo de ser de Deus. É a perfeição do bem, do amor, da paz, da justiça, da verdade e de todas virtudes. Ao criar os anjos e os seres humanos, Deus quis que participassem da sua santidade.

“Sede Santos porque eu sou Santo” (Lv 11,44)

A Bíblia Sagrada, que neste mês de Setembro, queremos conhecer mais e introduzir mais em nossa vida diária, em nosso projeto de vida crista, vamos retomar como o nosso livro que nos orienta e anima a viver o nosso ideal da Santidade.

“Sede Santos porque eu sou Santo” (Lv 11,44)

Santidade não é um ideal abstrato. É muito concreto conhecem-se os Santos e as Santas pelas suas atitudes. Assim como a santidade de Deus é visível nas suas obras em benefício da felicidade, da alegria, da vida, da salvação de toda a humanidade.

A Bíblia nos oferece inúmeros ícones de santos e santas a começar por Jesus e a sua e nossa mãe, a Virgem Maria. Os santos e as santas da Bíblia não tinham a Bíblia impressa como nós temos a graça de tê-la. Para muitos foi suficiente saber que “Deus é AMOR” e que sua santidade é fundamentalmente, AMAR. Pelos caminhos do amor (compressão, misericórdia, disponibilidade para servir, unidade, perdão, partilha dos bens e da vida… muitos chegaram a um alto grau de santidade, de semelhança com Deus.

“Sede Santos porque eu sou Santo” (Lv 11,44)

Jesus entre nós tornou, visível o ideal de ser santo como Deus é santo e que no amor ao próximo e a Deus está o segrego da Santidade.

São Luiz Gonzaga que viveu apenas 23 anos neste mundo, no século 16, fez da renúncia aos títulos de nobreza, das festas no castelo e dos ideias do seu pai, o início do seu caminho de santidade. A Palavra de Deus lhe mostrava por onde caminhar: a oração, os sacramentos, a vivencia do amor fraterno até o gesto maior: dar a vida por seus amigos. Durante uma peste em Roma, que dizimou grande parte da cidade, Luiz, voluntariamente e com a permissão dos seus superiores estava a serviço dos doentes e agonizantes. Vítima da sua Caridade, morria ainda jovem sem ter conseguido realizar o seu ideal do sacerdócio.

“Sede Santos porque eu sou Santo” (Lv 11,44)

A Santa Madre Tereza de Calcutá, a Irmã Dulce em Salvador da Bahia, a Santa Madre Paulina em Nova Trento e em São Paulo, encontraram na prática do amor fraterno e das obras de misericórdia, a mais alta e reconhecida santidade, amor aos irmãos, oração constante, a sagrada Eucaristia diária a imolação da própria vida como fez Jesus… Aprenderam esta arte de amar, na Bíblia.

“Sede Santos porque eu sou Santo” (Lv 11,44)

“Nas primeiras horas do dia 12 de outubro de 2006 morreu Carlos Acutis aos 15 anos. Nascera em Londres em 03 de maio de 1991, filho de André e Antônia, que após o seu nascimento voltaram para Milão, na Itália. Desde pequeno demonstrava um profundo amor pelas coisas do Céu e seu desejo único era tornar-se santo. Após sua primeira comunhão aos 7 anos participava da Santa Missa todos os dias e fazia diariamente adoração ao Santíssimo Sacramento. Possuía muitos amigos. Sua predileção eram os pobres. Em 2006 foi surpreendido por uma violenta leucemia. Sabendo dos sofrimentos que tinha pela frente, disse: Ofereço todos os sofrimentos pelos quais irei padecer, pelo Santo Padre (Papa Bento XVI) e pela Igreja.”

“Sede Santos porque eu sou Santo” (Lv 11,44)

“Amigos, Jesus é o Senhor do risco, o Senhor do sempre ‘mais além’. Jesus não é o Senhor do conforto, da segurança e da comodidade. Para seguir a Jesus, é preciso ter uma boa dose de coragem, é preciso decidir-se a trocar o sofá por um par de sapatos que te ajudem a caminhar por estradas nunca sonhadas e nem mesmo pensadas, por estradas que podem abrir novos horizontes, capazes de contagiar-te a alegria, aquela alegria que nasce do amor de Deus, a alegria que deixa no teu coração cada gesto, cada atitude de misericórdia. Caminhar pelas estradas seguindo a ‘loucura’ do nosso Deus, que nos ensina a encontra-lo no faminto, no sedento, no maltrapilho, no doente, no amigo em maus lençóis, no encarcerado, no refugiado e migrante, no vizinho que vive só.”

(Papa Francisco, na vigília de oração com os jovens em Cracovia, 30 julho 2016)

 

“Sede Santos porque eu sou Santo” (Lv 11,44)

 

Pe. Pedro Adolino Martendal

Diretor Espiritual

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.