Palavra de vida › 02/06/2018

Palavra de Vida – junho de 2018

 

“Quando chegou o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído como de um vento forte que encheu toda a casa em que se encontravam. Então apareceram línguas como que de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia expressar-se.”(At 2, 1-4)

“Os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar.” (At, 2-1)

O lugar desta reunião dos apóstolos era o cenáculo de Jerusalém. Era uma sala de jantar, na qual Jesus, na companhia dos apóstolos, havia celebrado a Ceia Pascal dos Judeus, no entardecer da Quinta-Feira Santa. Ali, nessa sala, Jesus, após a Ceia Pascal Judaica, celebrou a 1ª Santa Missa: Sacrifício e Sacramento da Nova e Eterna Aliança. Após a morte de Cristo, os apóstolos buscavam refugio também ali. Nesta mesma sala Jesus manifestou-se ressuscitado no dia da ressurreição e em outros dias depois.
Nesta mesma sala, o Cenáculo, cheia de recordações, os apóstolos e discípulos(as), estavam reunidos em oração quando o Divino Espírito Santo veio.

“De repente, veio do céu um ruído como de um vento forte que encheu toda a casa em que se encontravam.” (At 2,2)

Pentecostes era o nome de uma grande festa dos Judeus, uma grande festa que atraia peregrinos Judeus de muitos países onde residiam. A Cidade de Jerusalém estava cheia de gente. Pentecostes seria para os cristãos, a partir do acontecimento da manifestação do Espírito Santo, aquele dia que recordava 50 dias da ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Pentecostes, para os cristãos, passou a ser, desde então, a celebração daquela manifestação do Divino Espírito Santo no Cenáculo de Jerusalém.

“Então apareceram línguas como que de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia expressar-se.”(At,2, 2-4)

O Espírito Santo, “muda os corações” Jesus dissera aos seus Apóstolos: «Ides receber uma força, a do Espírito Santo (…) e sereis minhas testemunhas» (At 1, 8). E assim aconteceu: aqueles discípulos que antes viviam no medo, fechados em casa, mesmo depois da ressurreição do Mestre, são transformados pelo Espírito e – como Jesus anuncia no Evangelho de hoje – «dão testemunho d’Ele» (cf. Jo 15, 27). De hesitantes, tornam-se corajosos e, partindo de Jerusalém, lançam-se até aos confins do mundo. Medrosos quando Jesus estava entre eles, agora são ousados sem Ele, porque o Espírito mudou os seus corações.” (Homilia do Papa Francisco, em 20 de maio de 2018, na Basílica de São Pedro, em Roma).
Ao final desta sua homilia, o Papa Francisco nos convida a uma oração. “Peçamos-Lhe que nos faça assim. Espírito Santo, rajada de vento de Deus, soprai sobre nós. Soprai nos nossos corações e fazei-nos respirar a ternura do Pai. Soprai sobre a Igreja e impeli-a até aos últimos confins, para que, levada por Vós, nada mais leve senão Vós. Soprai sobre o mundo o suave calor da paz e a fresca restauração da esperança. Vinde, Espírito Santo, mudai-nos por dentro e renovai a face da terra. Amém.”

Padre Pedro Adolino Martendal
Diretor espiritual

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.