Palavra de vida › 04/08/2017

Palavra de Vida – agosto de 2017

 

“ Andando à beira do Mar da Galileia, Jesus viu outros dois irmãos: Tiago e João, filhos de Zebedeu. Estavam na barca com seu pai Zebedeu, consertando as redes. E Jesus os chamou. Eles deixaram imediatamente a barca e o pai, e seguiram a Jesus.” (Mt 4, 21-22)

 

Chegamos, mais uma vez, em nossa vida ao mês de Agosto que, em nosso País, é um mês especialmente vocacional.

O que significa para nós um mês vocacional? É um mês para pararmos com mais frequência diante de Jesus, que continua andando “a beira do mar da galileia” de nossas famílias, paróquias, colégios, universidades, praças, edifícios, movimentos de espiritualidade como o Pólen, ambientes de lazer…hospitais, chamando companheiros para evangelizar.

Andando à beira do Mar da Galileia, Jesus viu dois irmãos: Simão, também chamado Pedro e seu irmão André. Estavam jogando a rede no mar, pois eram pescadores Jesus disse para eles: Sigam -me e eu farei de vocês pescadores de homens. “Eles deixaram imediatamente as redes e seguiram a Jesus” (Mt 4, 18 -20). Foi um chamado direto e explicito, num momento, aparentemente inconveniente. Com o chamado vocacional vem a graça de perceber e discernir o que significa para a humanidade aquele chamado.

Também eles, Pedro e André, deixaram imediatamente a barca e a família e seguiram a Jesus. (Mt 4, 18-20)

Naquelas oportunidades chamou alguns para construírem uma comunidade: a Igreja. Impressiona saber que eram pessoas humildes, sem escolaridade e que Jesus chamou para serem seus auxiliares na obra da evangelização, santificação e salvação da humanidade:

Qualquer um de nós no dia a dia deste mês vocacional está convidado a perguntar a Jesus que passa:

Mestre onde moras?

Quem és tu, Senhor?

O que queres que eu faça?

E “Saiba que a inquietação do seu coração é uma graça – quer dizer, é o Senhor que o deixa inquieto. Faz isso porque o ama, porque tem um plano a respeito de você, hoje. Com os primeiros apóstolos: “Jesus subiu a montanha e chamou os que ele quis; e foram a ele. Ele constituiu então doze, para que ficassem com ele e para que os enviasse a anunciar a Boa Nova.” (Mc 3,14)

(Carta de Dom Murilo S. R. Krieger aos jovens em 04 de agosto de 2009 quando era nosso Arcebispo.

“Mostrem com a vida que vale a pena gastar-se por grandes ideais. Valorizar a dignidade de cada ser humano e apostar em Cristo e no seu Evangelho. Deus chama todos à santidade, mas tem um caminho para cada um, como o matrimonio, o sacerdócio ou à vida consagrada. “Estejam em forma” e enfrentem sem medo todas as situações da vida. Para isso, três pontos são fundamentais: a oração, os sacramentos e a ajuda ao próximo”.

(papa Francisco na JMJ no Rio de Janeiro em 2013)

Em sua mensagem para o 54º Dia Mundial de Oração pelas vocações, em 7 de maio de 2017, o Papa Francisco, logo no início nos diz: “no 54º Dia Mundial de Oração pelas Vocações, gostaria de me deter na dimensão missionária da vocação cristã. Quem se deixou atrair pela voz de Deus e começou a seguir Jesus, rapidamente descobre dentro de si mesmo o desejo irreprimível de levar a Boa Nova aos irmãos, através da evangelização e do serviço na caridade. Todos os cristãos são constituídos missionários do Evangelho. Com efeito, o discípulo não recebe o dom do amor de Deus para sua consolação privada; não é chamado a ocupar-se de si mesmo nem a cuidar dos interesses duma empresa; simplesmente é tocado e transformado pela alegria de se sentir amado por Deus e não pode guardar esta experiência apenas para si mesmo: «a alegria do Evangelho, que enche a vida da comunidade dos discípulos, é uma alegria missionária» (Francisco, Exort. ap. Evangelii gaudium, 21).

Por isso, o compromisso missionário não é algo que vem acrescentar-se à vida cristã como se fosse um ornamento, mas, pelo contrário, situa-se no âmago da própria fé: a relação com o Senhor implica ser enviados ao mundo como profetas da sua palavra e testemunhas do seu amor.”

Jovens: A Igreja precisa de vocês, do seu entusiasmo, criatividade e alegria” (Papa Francisco JMJ no Rio de Janeiro, em 2013).

Oração vocacional do Papa Paulo VI.

“Senhor da Messe, Pastor do Rebanho, faz ressoar em nossos ouvidos

Teu forte e suave convite: “Vem e segue-me!”

Derrama sobre nós o Teu Espírito, que Ele nos dê sabedoria

Para ver o caminho, e generosidade para seguir Tua voz!

Senhor, que a messe não se perca por falta de operários!

Desperta nossas comunidades para a Missão! Ensina nossa vida a ser serviço!

Fortalece os que querem dedicar-se ao Reino na vida consagrada e religiosa!

Senhor, que o Rebanho não pereça por falta de Pastores!

Sustenta a fidelidade de nossos bispos, padres, diáconos e ministros!

Dá perseverança a nossos seminaristas! Desperta o coração de nossos jovens

Para o ministério pastoral em Tua Igreja! Senhor da Messe e Pastor do Rebanho,

Chama-nos para o serviço de teu povo.

Maria, Mãe da Igreja, modelo dos servidores do Evangelho,

Ajuda-nos a responder: “SIM”.

Amém”.

 

Pe. Pedro Adolino Martendal

Diretor Espiritual

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.